Category Archives: Textos

01 Aug

A Beleza

SONY DSC

Estava conversando com uma amiga do tempo do colégio que esses dias conheceu meu blog. Ela me dizia que por alguma razão quando ela leu meu blog ela ficou pensando muito na vida, sobre encontrar e ir atrás de coisas que ela gosta.

Então fiquei pensando sobre as coisas que eu gosto. Esse blog está cheio das coisas mais preciosas que tenho. Aquelas coisas que me inspiram, que me fazem suspirar e que me fazem acreditar que a vida vale ser vivida.

Pode parecer bobeira, mas em meio a toda a dificuldade da vida eu preciso dos pequenos prazeres que as minhas paixões me trazem. Preciso do prazer de tirar uma bela foto, de ler um bom livro (que eu tenho certeza absoluta que foi escrito sobre e para mim), de tomar um café gostoso, de ver a chuva, de desenhar, de pintar, de escrever aquela tal frase que soa tão bem. Eu preciso a cada dia ser lembrada da beleza que há no mundo. E cada uma dessas coisas que eu faço e amo me lembra disso. Me lembra do belo. Não digo do padrão de beleza e blábláblá. Eu falo do belo de verdade. Aquela coisa tão bonita que faz você sentir um arrepio e traz lágrimas aos olhos. Que faz você ficar bobo, que faz todo o universo e existência ter um sentido que você jamais tinha pensado antes. O belo que te mostra a beleza que é viver.

Às vezes esse belo é o sorriso de quem eu amo ou um toque que me faz sentir que não estou sozinha nesse mundo. Ou até mesmo uma conversa maluca sem pé nem cabeça que gera muitos sorrisos. O belo pode ser a expectativa de um reencontro. Ou também a simples paz de conseguir dormir assim que coloca a cabeça no travesseiro.  Pode ainda ser uma dança sem música na cozinha, sentindo o calor gostoso do outro, vendo nos olhos dele todo o amor que você sempre sonhou receber de alguém.

Esse blog está cheio da beleza que é minha.
A beleza para mim é tudo isso.
E oh, deus… eu não consigo viver sem beleza.

15 Feb

Sobre ser magoado e esquecimento

Uma coisa sobre a qual tenho pensado é sobre como as pessoas agem em relação à magoa com outra pessoa.

Geralmente o quadro é assim: você é próximo de uma pessoa. Passaram vários momentos juntos, viveram muita coisa. Aquela pessoa já fez muito por você e você também já fez muito por ela.

Então, em uma determinada situação, ela pisa na bola e faz uma coisas (ou várias coisas) que te machuca muito, muito mesmo. O que no geral acontece é que você está tão magoado que se afasta daquela pessoa, corta ela dos teus círculos, não fala mais com ela, ou se isso não for possível, se torna a mais fria pessoa com a criatura.

Já conheci algumas pessoas que guardam muita mágoa, e sempre achei que a questão com elas é que elas não conseguem esquecer. Não conseguem esquecer aquilo de ruim que fizeram contra ela.

Mas depois, olhando para mim, vejo que também tenho problema de esquecer, mas de esquecer as coisas contrárias. Tenho muito problema de esquecer tudo de bom que alguém já me fez. Eu simplesmente não consigo me desapegar das coisas boas que a pessoa me trouxe. E para mim, isso é motivo suficiente para não guardar mágoas.

Porque eu também penso que todo mundo faz merda. Todo mundo erra. Todo mundo em algum momento decide algo que achava ser super certo e se revelou sendo um fiasco. E todo mundo, todo mundo mesmo!, já magoou alguém sem querer. Todo mundo precisa de segundas chances (ou terceiras, quartas, quintas….). E eu acredito que se alguém realmente precisa de alguma coisa, ela deveria tê-la.

Às vezes as pessoas não estão querendo diretamente te ferir, às vezes elas só estão querendo viver da melhor forma que elas podem. Se a felicidade de outra pessoa não me agrada muito quem sou eu para questionar isso? Será que a pessoa tem que deixar de ser feliz porque tem outras ao redor que estão magoadas com aquilo?

Acho um tanto injusto eliminar uma pessoa da minha vida por uma (ou várias) merda que ela fez, sendo que ela já tinha feito taaanta coisa de bom para mim. Por que eu tenho que julgar a pessoa tão duramente assim e ser tão radical?

Se há uma coisa que eu não guardo nessa vida é mágoa e simplesmente porque, como diz alguém que eu amo muito, eu tenho uma memória muito boa.

24 Nov

A separação

holding-hands

Quando eu era criança meu maior medo era que meus pais se separassem. Eu cresci e isso não aconteceu. Então passei a achar que jamais aconteceria. Na minha cabeça o “tempo de perigo” tinha ido. Pois 28 anos tinham se passado, os quatro filhos estavam crescidos… A gente só pensa que isso acontece quando é criança ou adolescente. Você não imagina nem teme mais que seus pais se separando quando você já é adulta.

Mas acontece. E aconteceu com os meus.

Read More